CENÁRIOS EM GAMES, FAVELAS BRASILEIRAS SÃO VISTAS COM OTIMISMO POR ESTÚDIOS

Favela do Rio de Janeiro será um dos cenários de "Street Fighter V"

Um dos cenários do Brasil mais representados em games é o da favela. Ícones da disparidade econômica entre brasileiros, as comunidades costumam ser vistas com mais otimismo pelos desenvolvedores estrangeiros.

É o que explica a socióloga e pesquisadora do Núcleo de Estudos da Violência da USP, Ariadne Natal. “Nós brasileiros, que temos contato com a realidade das favelas, sabemos que elas nascem da necessidade. As pessoas que moram nessas comunidades raramente o fazem por escolha. São condições de vida precárias”, diz.
Jogos como “Call of Duty: Modern Warfare 2” mostram o ‘lado ruim’ das favelas, que tornam-se palcos para tiroteios. Na época do lançamento de “Max Payne 3”, o diretor de arte do game, Rob Nelson, disse a que a cidade de São Paulo foi escolhida como cenário pelas semelhanças com Nova York, que já tinha aparecido na série.

Em destaque, as favelas paulistanas surgem para representar “a disparidade entre ricos e pobres, corrupção política e um poderoso crime organizado”, nas palavras de Nelson.
Mas essa é longe de ser a norma: outros títulos, como “Papo & Yo” e “Forza”, preferem retratar o cenário de maneira positiva. É o caso de “Street Fighter V”, como revela o produtor Yoshinori Ono.

“Eu sei que as favelas nasceram como assentamentos de pessoas esquecidas pela sociedade, e que essas comunidades foram historicamente negligenciadas pelas autoridades e assombradas pelo crime”, reconhece Ono. “Mas ao mesmo tempo, como as pessoas batalhadoras precisam superar as dificuldades associadas à vida em uma comunidade carente, esses bairros são também celeiros de pessoas fortes e generosas que lutam por um mundo melhor”.

“Assim, as favelas criam grandes artistas, atletas, empreendedores e humanistas que contribuem para a cultura de uma nação. Eu acho que essas características combinam bem com o tema de ‘Street Fighter V'”, afirma o produtor.

Time de “Forza 6” visitou o Brasil para recriar favela carioca no game

No discurso do designer Vander Caballero, que criou “Papo & Yo”, a favela também serve como um símbolo para a superação na vida do protagonista Quico, que foge de casa para escapar de um pai abusivo.

De forma parecida, os aspectos positivos da favela foram motivação para sua inclusão como uma das pistas de “Forza Motorsport 6”. “Independentemente das condições sociais, a favela serve como uma paisagem brasileira única, colorida, que queríamos retratar em nosso jogo”, revela o diretor Dan Greenwald.
“Estrangeiros recebem uma visão romantizada das favelas. Eles são atraídos pelo conceito de pessoas que, contra todas as adversidades, conseguem viver naquelas condições”, explica Ariadne Natal.

A pesquisadora não entende que a presença das favelas nos games seja uma banalização do problema: “Por mais que as favelas representem uma precarização da vida, elas formam comunidades muito unidas. E, não por acaso, elas rendem cenários interessantes e muitas vezes exóticos, que atraem a atenção dos produtores”.

Fonte: Uol Jogos

 

Share Now

Leave us a reply